5 dicas para escolher o melhor bairro para você morar


5 dicas para escolher o melhor bairro para você morar

Buscar por um bairro para morar é uma atividade tão importante quanto escolher um imóvel. Por isso, se você está buscando como escolher um bairro para morar, continue lendo e veja 5 dicas que podem ajudar.

 

Se você ainda não sabe por onde começar na busca por um novo bairro para morar, fique tranquilo.

Para acertar na escolha, é necessário mais do que algumas horas de pesquisa na internet, é importante avaliar as suas expectativas sobre a vizinhança, as proximidades e as facilidades da região.

Pensando em ajudar você, nós reunimos aqui 5 dicas essenciais para facilitar a sua escolha e tornar a sua busca mais efetiva. Continue lendo!

 

Quais são as características de um bom bairro para morar

Antes de entender quais seriam as principais características para escolher um bom bairro para morar, é necessário entender quais são os fatores que você não abre mão de ter na sua vizinhança.

Afinal, você pode ter o desejo de morar em um bairro mais familiar, com poucos condomínios. Ou quem sabe um bairro agitado, no centro da cidade, próximo às principais festas e restaurantes. Ou então você tem o sonho de morar em um bairro próximo da praia.

Percebe como as opções podem ser extensas quando não se avalia fatores como estilo de vida ou objetivos antes de pesquisar por um bairro?

Neste sentido, o valor do imóvel não é o único ponto a ser considerado, principalmente se você tem o objetivo de morar naquele lugar por muito anos.

Portanto, comprar um imóvel sem avaliar bem o entorno pode fazer com que você tenha surpresas indesejadas no futuro. E eu tenho certeza que não é isso que você quer neste momento importante da sua vida.

 

Caso você queira um bairro residencial

Se você tem o desejo de morar em um bairro residencial, saiba que as principais características deste local são:

  • Menos estabelecimentos comerciais. Geralmente, eles ficam mais concentrados em vias principais ou em pequenos centros na redondeza;
  • Menor fluxo de pessoas. Bairros residenciais são sinônimos de tranquilidade e silêncio, afinal a circulação de pessoas e veículos costuma ser menor;
  • Maior segurança. Por ser um local, geralmente, menor, com menos estabelecimentos comerciais, pessoas e veículos, esse tipo de bairro também facilita a identificação de qualquer tipo de movimentação estranha, o que aumenta a sensação de segurança;
  • Mais áreas verdes. Distritos residenciais, geralmente, também têm menos áreas construídas, possibilitando que hajam mais espaços abertos e áreas verdes, como parques;
  • Maior possibilidade de imóveis maiores. Por ter mais áreas livres, esses bairros também possuem grandes casas ou lotes, que podem ser muito úteis para grandes famílias, com muitas crianças e animais de estação;
  • Maior distância dos principais grandes centros comerciais. Apesar de possuir muitos pontos positivos, um dos fatores que talvez não seja tão legal é a distância dos centros comerciais, o que também pode significar longe do trabalho, aumento do gasto com deslocamento e grandes congestionamentos.

 

Caso você queira um bairro central

No entanto, se você quer mesmo é morar em um bairro central, essas são as principais características deste local:

  • Garantia de imóveis mais otimizados. Bairros mais centrais têm um perfil mais funcional e, portanto, os imóveis são menores, porém projetados para serem mais otimizados;
  • Imóveis mais baratos. Por serem menores, geralmente, os valores dos imóveis em bairros centrais são mais atrativos e com um melhor custo-benefícios;
  • Menor custo com deslocamento e transporte. Nesse caso, bairros centrais são sinônimo de economia, afinal há mais opções de transporte público, como ônibus, metrô, VLT e diversas opções de táxis particulares, além de facilitar a locomoção para quem prefere andar a pé ou de bicicleta;
  • Cultura e diversão mais próxima. Bairros centrais são conhecidos por serem próximos à vários museus, teatros, casas de shows, bons restaurantes e até mesmo apresentações de rua e, geralmente, tudo próximo da sua casa;
  • Alto fluxo de pessoas e veículos. Diferente do bairros residencial, nos bairros centrais o fluxo de pessoas é bastante alto, além disso há muitos carros, ônibus, motos etc, gerando mais barulho e aglomeração;
  • Barulho e poluição. Não dá pra negar. Se um bairro central fica próximo a bares e restaurantes e, além disso, também possui um tráfego maior de veículos, é fácil perceber que há poucas áreas verdes, aumentando a poluição local, além de muito barulho por conta das casas noturnas.

 

Pronto! Agora que você já entendeu essas principais diferenças, com certeza já deve ter em mente o tipo de bairro que você quer morar com a sua família. Por isso, a seguir você encontra 10 dicas para saber como avaliar um bairro.

 

Como escolher o bairro ideal para morar

#01: Observe a infraestrutura do bairro

Observar a infraestrutura do imóvel é tão importante quanto observar a infraestrutura do bairro onde você pretende morar, afinal você irá morar neste lugar por pelo menos alguns anos.

Por isso, a autossuficiência é um aspecto interessante a ser analisado em um bairro.

Isso significa entender sobre a oferta de transporte público para o bairro, ainda que você não o utilize tanto assim, os seus amigos, familiares ou mesmo prestadores de serviços podem precisar para chegar até à sua casa.

Além disso, lembre-se de também prestar atenção na qualidade das ruas e avenidas, coleta seletiva de lixo, iluminação pública, vias de acesso e todos os equipamentos urbanos da redondeza.

Outro aspecto a ser observado é a quantidade de áreas verdes no bairro, como jardins, canteiros, árvores, parques e etc, pois esse é um fator que influencia na qualidade do ar e do clima, além de deixar o bairro bonito e ser um local de lazer e prática de esportes.

 

#02: Conheça bem a vizinhança antes de se mudar

Imagine só a surpresa de escolher um imóvel perfeito e um bairro com uma ótima infraestrutura, mas descobrir que os vizinhos são barulhentos ou fazem algo que você se incomoda, causando um transtorno incontornável. Com certeza você não deseja isso, certo?

Por isso, uma das opções para garantir que você terá bons é, de fato, conversar com as pessoas da vizinhança durante uma visita ao bairro. Durante essas conversas, você pode saber mais sobre o estilo de vida das pessoas que moram ali.

Afinal de contas, se você é uma pessoa jovem, que mora sozinha e tem um estilo de vida mais agitado e faz festas, talvez morar próximo a grandes famílias não seja uma boa opção.

Enquanto grandes famílias morarem em bairros centrais com muita movimentação, bares e casas noturnas podem ser motivos de dor de cabeça.

E se você gosta de praticar atividades ao ar livre, talvez morar perto de parques, praças, ciclovias ou mesmo da praia pode ser uma excelente opção.

Neste sentido, você deve considerar as suas preferências pessoais e entender, com quem já mora no local, sobre as principais vantagens e desvantagens do bairro e se os vizinhos estão satisfeitos em morar naquele local.

No final das contas, você terá a opinião sincera de alguém que não está interessado em vender ou alugar um imóvel e certamente lhe informará uma opinião sincera e verdadeira.

 

#03: Faça visitas em dias e horários diferentes

Um bairro pode mudar completamente dependendo do dia ou horário. Portanto, procure fazer visitas em dias e horários alternados para observar:

  • o movimento das pessoas e veículos;
  • se há barulho no local;
  • como é a iluminação é boa durante à noite;
  • qual o horário de funcionamento dos comércios durante a semana e finais de semana;
  • entre outros pontos que são importantes para você.

Desta forma, você conseguirá ter mais informações para embasar a sua tomada de decisão e ter certeza de que o local atende às suas expectativas, afinal apenas uma pesquisa na internet pode não ser suficiente.

Lembre-se de que quanto mais você pesquisar, maior a chance de você encontrar um bairro que realmente faça sentido com os seus objetivos.

 

#04: Atente-se para a segurança do bairro

Segurança é um fator indispensável para qualquer pessoa, por isso, antes de bater o martelo, é importante observar se o bairro é seguro para você e a sua família.

Neste sentido, você pode observar se o bairro possui:

  • boa iluminação durante à noite, evitando que ruas fiquei muito escuras e vazias;
  • presença de câmeras de monitoramento;
  • sistemas de monitoramento e alarmes;
  • movimentação nas ruas, principalmente durante à noite;
  • próximos a estabelecimentos comerciais que ficam abertos até mais tarde, proporcionando um fluxo de pessoas durante todo o dia.

Todos esses fatores são importantes para garantir uma boa escolha de lugar para morar, ainda que você esteja buscando por um imóvel em condomínio fechado.

Se ainda assim você deseja se mudar para um local mais isolado, conversar com a vizinhança é um fator que também pode ser útil para entender se a região é segura. Neste sentido, não deixe de seguir as dicas do item anterior e perguntar às pessoas se elas consideram o bairro seguro.

 

#05: Coloque no papel tudo o que você imagina

Por fim, faça uma lista e coloque no papel quais são todas as suas expectativas e coisas que você gostaria que tivesse no bairro onde vai morar.

Aqui é importante ter em mente quais são as suas principais necessidades e prioridades, afinal ainda que um bairro tenha lhe interessado por ser tranquilo, pode não ser a melhor escolha se você gosta de uma rotina mais movimentada.

Pense também como é a sua rotina, os deslocamentos que você precisará fazer diariamente ou mesmo como é o trânsito no horário em que você, geralmente, precisa sair de casa.

Tudo isso será relevante para visualizar um cenário geral e tomar uma decisão que vai mudar todos os seus dias.

Feito isso…

Agora é com você!

Depois de todas essas dicas, é hora de você colocar em prática, começar a sua pesquisa e escolher um imóvel que combina com você e também um bairro que proporciona uma boa qualidade de vida.

Gostou dessas dicas? Então, aproveite para conferir também estas 7 dicas para ajudar você a comprar o seu lote com segurança. Boa leitura!